Um mês de luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes

01 / junho / 2017 — 1:19 — DestaquesGiro de Notícias

Em diversas cidades do Brasil, vários grupos se reuniram a fim de desenvolver atividades de prevenção à exploração sexual infanto-juvenil, durante o mês passado. As ações fizeram referência ao dia “18 de Maio”, data nacional escolhida para sensibilizar a sociedade no enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Com o intuito de alertar a população e através da prevenção garantir uma sexualidade segura e protegida, longe de qualquer violência, a toda criança e adolescente brasileiro, grupos da Bahia, Piauí, João Pessoa, Rondônia, Ceará e Belo Horizonte, que fazem parte do Comitê Nacional de Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e da rede ECPAT Brasil, desenvolveram diversas intervenções sobre o assunto.

Na Bahia, aconteceram atividades como webpalestra, oficinas, seminário, ato público e um festival artístico e cultural reunindo várias organizações, atores sociais, escolas e empresas engajadas na defesa dos direitos da criança e do adolescente.

Em Belo Horizonte, na Oficina de Imagens, aconteceu a exibição comentada do documentário “R$1 – O Outro Lado da Moeda”. O Filme é dirigido pelo chileno Diego Traverso e produzido por iniciativa das organizações Operation Blessing International e 27 Million Brasil, com o objetivo de combater a exploração sexual e o tráfico de pessoas no país.

Já o Fórum Cearense de Organizações não Governamentais em Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes lançou o caderno “Violência Sexual: Monitoramento da Política de Atendimento à Criança e ao Adolescente na Cidade de Fortaleza”. A publicação oferece um panorama geral da política pública e da execução orçamentária, além de incluir uma série de recomendações.

Em João Pessoa, teve apresentação de Flash Mob, oficinas em escolas com adolescentes da rede pública municipal em parceria com o Cras e o Creas. Também houve intervenções da rede de proteção junto aos passageiros da estação de trem da cidade e região metropolitana.

No Piauí, as ações atingiram quase 100% dos 224 municípios do estado. As atividades tiveram a participação da Casa de Zabelê que coordenou a programação em Teresina, capital do estado, e para isso contou com a ajuda de gestores e técnicos da Assistência Social Municipal e Estadual, bem como a presença do Ministério Público, Conselheiros Tutelares, faculdades, e adolescentes atendidos nos diversos serviços da rede local.

O Comitê Estadual de Enfrentamento a Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes de Rondônia, realizou nas Escolas Barão dos Solimões e 21 de Abril, uma roda de conversa com adolescentes deficientes auditivos, para explicar o que é a violência sexual, onde e como denunciar, apresentando o fluxo de atendimento do município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *