Cine de Role

O Cine de Rolê é uma iniciativa da Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social da Prefeitura de Belo Horizonte, desenvolvido dentro do Programa Projovem Adolescente.

O Cine é realizado desde abril de 2014, com a proposta de promover sessões de cinema seguidas de debate para os 14 coletivos integrantes do Projovem Adolescente, distribuídos  pela capital através dos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS). O público participante dos coletivos são adolescentes com idades entre 14 a 17 anos, moradores das vilas atendidas pelos CRAS.

As sessões cineclubistas, com duração de até duas horas cada, acontecem duas vezes por semana, reunindo dois ou mais coletivos no CRAS – onde já acontecem as atividades do Projovem, ou nos Centros Culturais disponíveis na cidade. A programação é temática, sendo destinados de 30 a 45 minutos para exibição de filmes, e o restante do tempo voltado para os debates provocados pelas dinâmicas propostas pela equipe do Cine ou por mediadores convidados.

Mensalmente é realizada também uma sessão central em uma sala de cinema tradicional da cidade. Nesta atividade é exibido um filme de média ou longa metragem, acompanhada de um bate-papo com o diretor ou o realizador do filme junto aos adolescentes dos 14 coletivos do Projovem.

Com uma programação de duas horas por sessão, o Cine de Rolê exibe 30 a 45 minutos de filmes que abordem a temática proposta, seguidos por dinâmicas de grupo realizadas pela  equipe do projeto ou por debates mediados por convidados.

Com estas ações, o cineclube itinerante Cine de Rolê tem promovido o acesso, a circulação e a apropriação dos adolescentes participantes do Projovem aos equipamentos públicos – CRAS e Centros Culturais – , e demais espaços de socialização disponíveis na cidade.

Cabe destacar o intercâmbio entre os jovens que o Cine de Rolê vem promovendo, ao possibilitar que os jovens dialoguem sobre as vivências individuais e coletivas, além de conhecerem a realidade dos outros.

O Cine de Rolê tem também como proposta a formação de público e ampliação do repertório audiovisual dos adolescentes, através do acesso às produções do cinema nacional. Para isso, a curadoria dos vídeos que compõe a programação tem focado principalmente em curtas metragens brasileiros, tendo em vista a diversidade de temas envolvendo o universo juvenil que este gênero audiovisual oferece.