Ciclo Orçamentário – Como os atores do SGD podem incidir no orçamento?

26 / janeiro / 2015 — 7:00 — Rolimã

POR FILIPE MOTTA
Infografia: Pabline Felix e Ronei Sampaio

Todo ano é a mesma história. É impossível que qualquer administração pública, seja ela municipal, estadual ou federal, realize suas ações e políticas sem que as leis orçamentárias reflitam as prioridades da gestão. Na verdade, o ciclo orçamentário é um processo contínuo – enquanto o orçamento de um ano é revisado o do outro já está sendo programado… é coisa que não pára nunca. Muita gente torce o nariz só de ouvir falar, mas conhecer o orçamento e saber como nele indicar novas propostas é um caminho fundamental para assegurar e implementar ações com foco na garantia de direitos de crianças e adolescentes. Mais que meros documentos técnicos, as leis orçamentárias são, antes de tudo, um instrumento político dos governos.

Na sua quarta edição, Rolimã desmembra este ciclo, indicando caminhos para a incidência dos atores do Sistema de Garantia de Direitos e você poderá acompanhá-los ao longo desta semana. Confira, hoje, a primeira parte do roteiro.

 

Print

[Esta reportagem foi publicada na quarta edição de Rolimã (página 48). Acesse a revista na íntegra aqui.]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *