Em Brasília, encontro construiu subsídios para a X Conferência Nacional dos Direitos da Criança

11 / dezembro / 2015 — 15:25 — Sem categoria

Aconteceu, entre terça e quinta-feira desta semana (8 a 10 de dezembro) o Encontro Pela Absoluta Prioridade da Criança e do Adolescente. Realizado em Brasília, o evento teve como objetivo produzir insumos para a X Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que ocorre em abril do próximo ano, além de celebrar os 25 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Ao longo desses três dias, reuniram-se mais de 400 pessoas de todo o país entre conselheiros tutelares e de direitos, movimentos sociais, fóruns e redes de proteção à infância. Além disso, como o encontro buscava construir uma agenda inclusiva e diversa, a heterogeneidade do público foi um dos principais destaques, levando-se em consideração gênero, raça e etnia, orientação sexual, deficiência, diversidades regional e religiosa, entre outros critérios, que garantiram a participação de quilombolas, meninos e meninas em situação de rua, faxinalenses, ciganos, adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas, população de fronteiras, de terreiros, movimentos negros, pescadores, mães da candelária e de maio e diversos outros segmentos.

Além de painéis que discutiram a atual conjuntura sociopolítica do país e pontuaram avanços, limites e desafios das duas décadas e meia de ECA, o evento contou com rodas de conversa nas quais os participantes expuseram as violações vivenciadas em suas realidades e estabeleceram uma agenda propositiva para os próximos dez anos. No aspecto cultural, houve ainda lançamento de publicações, mostra de cinema em direitos humanos e duelo de MCs.

Ao final do encontro, as organizações participantes (entre as quais a Oficina de Imagens) assinaram a Declaração Pela Absoluta Prioridade da Criança e Adolescente e reafirmaram o compromisso com a promoção, defesa e garantia dos direitos da infância.

O Encontro Pela Absoluta Prioridade da Criança e do Adolescente foi realizado pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) e pela Secretaria Especial de Direitos Humanos, em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciência Sociais (Flacso) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *