História

Com o próprio nome diz, a Oficina de Imagens começou o seu trabalho nos campos da comunicação e da educação pela leitura e experimentação com as imagens. Em 1997, um grupo de jovens jornalistas formados na PUC – Minas resolveu reunir a experiência dos participantes com fotografia e vídeo para discutir o papel dos meios de comunicação na formação política de jovens e educadores.

Essa mistura de repertórios associada à experimentação de linguagens no espaço escolar, adquirida por meio de ações e metodologias que configurariam o Latanet, e à reflexão sobre as relações entre mídia e sociedade resultou, em 1998, na criação da organização de sociedade civil Oficina de Imagens – Comunicação e Educação.

Em 2000, a instituição passa a integrar a Rede ANDI Brasil e fortalece a sua atuação na área da infância e da adolescência com ações de monitoramento da cobertura da mídia sobre direitos de crianças e adolescentes e formação de jornalistas e estudantes de comunicação sobre a temática.

Por meio da formação de atores para a a incidência nas políticas públicas, além de atividades nos campos da juventude e da cultura, a Oficina de Imagens ampliou os trabalhos para a promoção dos direitos à participação social e à comunicação.

A partir dos aprendizados e dos conhecimentos adquiridos com o desenvolvimento de projetos nas áreas de comunicação e educação, a Oficina de Imagens tornou-se uma referência quando se trata de iniciativas voltadas para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes. Além do território brasileiro, hoje a instituição também desenvolve iniciativas que repercutem em países do Mercosul, como Bolívia e Argentina.